Conserto de eletrodomésticos em BH e região

Eletrodomésticos queimados por queda de energia

Em suma, muitas pessoas não sabem o que fazer quando tem os eletrodomésticos queimados por queda de energia.

Portanto, saiba que ao constatar a queima de aparelhos por causa da queda ou oscilação de energia elétrica, a companhia responsável pelo fornecimento é obrigada a ressarcir o consumidor.

Isso de acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e também segundo a Resolução Normativa nº 499/12 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Porém, em algumas situações, a distribuidora pode negar ressarcir os danos. Por exemplo, quando não há o registro de perturbação na rede elétrica que pode ter afetado o local no qual o consumidor está.

Ou ainda se o consumidor realizar, por conta própria, o conserto do eletrodoméstico antes do fim do prazo para que seja feita a verificação.

Eletrodomésticos queimados por queda de energia

Sendo assim, se a empresa negar o ressarcimento nos casos de eletrodomésticos queimados por queda de energia, o cliente ainda consegue recorrer à Aneel para analisar a solicitação.

Interrupções repentinas de energia

O Idec ressalta que interrupções repentinas do serviço podem gerar desconto na conta de luz. Uma vez que há limites, estipulados pela Aneel para duração das quedas de energia elétrica e de quantas vezes essas interrupções podem acontecer durante o mês.

Assim, quando excedidos, os consumidores têm direito a receber desconto no valor das suas próximas faturas.

Por sua vez, esse desconto precisa ocorrer no prazo máximo de dois meses, contados a partir do mês em que ocorreu a interrupção.

O que fazer em caso de eletrodomésticos queimados por queda de energia?

Ao ter um eletrodomésticos queimados por queda de energia, o consumidor precisa procurar a concessionária de energia elétrica, de acordo com a orientação do Idec.

Uma vez que você pode fazer isso através dos canais de comunicação, usando o telefone, SAC, aplicativo, postos de atendimento ou ainda o site da empresa.

Além disso, de acordo com a entidade de defesa do consumidor, após receber o contato do dono do eletrodoméstico danificado, a empresa tem o prazo de até 10 dias corridos para fazer a inspeção in loco ou retirar o equipamento para a sua análise.

No entanto, eletrodomésticos queimados por queda de energia usados para conservar alimentos perecíveis ou medicamentos, o prazo é de apenas um dia útil.

Desta forma, após ser feita a vistoria, a empresa possui 15 dias corridos para dar a resposta ao consumidor se o pedido de reparo será feito.

Em caso de ressarcimento, o cliente pode receber o dinheiro de volta, solicitar o conserto de geladeira, por exemplo. Ou então pedir a substituição do equipamento em 20 dias, a partir da resposta da sua distribuidora.

Porém, em caso de negativa, o consumidor precisa se atentar às razões dadas pela empresa.

Mesmo assim, ela só será isenta caso seja comprovado defeito na instalação, uso indevido do equipamento, ou então se o aparelho for consertado antes do período de vistoria.

Por fim, o CDC ainda resguarda o consumidor em casos de danos imateriais. Por exemplo, caso haja prejuízos na realização de um trabalho.

Nesses casos, você pode solicitar reparação junto à concessionária, procurar um órgão de defesa do consumidor ou então, em última instância, recorrer à Justiça.

Em outras palavras, eletrodomésticos queimados por queda de energia devem ser consertados pela concessionária, como um microondas que não esquenta após o surto elétrico, bem como o prejuízo causado pela incapacidade de realizar um serviço.